segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Carta Diaconal (nossa Declaração de Princípios)

Carta Diaconal


Somos uma comunidade cristã de comunhão e serviço.

Nossa missão é conhecer e servir a Deus e servir ao nosso próximo.

Entendemos que Igreja (com "i" maiúsculo) é a Comunidade de todos os crentes reunidos no Corpo de Cristo, sem depender de prédio, clero, denominação ou tempo. A Igreja é a Família de Deus, Ele é nosso Pai e somos todos irmãos. E é daí que temos o Mandamento fundamental do cristianismo:

Amar a Deus com todas as nossas forças, toda a nossa alma e todo o nosso entendimento. E amar ao próximo como a nós mesmos e como Jesus nos ama.

A crença fundamental dos cristãos é a de que Deus nos convidou a fazer parte da família dEle. E cada um pode aceitar ou recusar esse convite. Mas quem aceitou esse convite, que foi feito pessoalmente por Jesus Cristo na cruz, deve começar a levar uma nova vida: deve lembrar sempre de que agora somos da Família de Deus. Ou seja, precisamos tratar Deus como Nosso Pai, respeitá-Lo e amá-Lo; e devemos amar ao nosso próximo como nossos próprios irmãos.

Além disso, ser filho ou filha de Deus é ser um verdadeiro príncipe ou uma verdadeira princesa do Reino de Deus. Temos, então, de lembrar a todo momento que tudo o que fazemos é para ajudar a construir o Reino do Nosso Pai, esse Reino que já foi inaugurado por Jesus e que um dia será plenamente instalado na Terra.

Ou seja, não são as preocupações menores dessa vida passageira que devem ter a maior parte da nossa atenção. Pelo contrário, temos de manter nosso foco sempre no Reino de Deus, que em breve será completamente instalado.

Também não é justo um príncipe ou uma princesa andarem sempre sujos. A Bíblia nos ensina que nós temos de evitar a sujeira espiritual, que é o pecado. Devemos procurar andar sempre limpos de toda impureza espiritual, ou seja, devemos procurar sempre fazer justiça e fazer o bem.

Em alguns momentos, mesmo tentando fazer o bem, acabamos cometendo algo ruim. Nós pecamos. Mas, quando isso acontecer, temos de lembrar que existe o perdão. Temos de pedir perdão a Deus e às pessoas que prejudicamos e temos de fazer todo o possível para desfazer o mal que causamos. E outra coisa importante: precisamos nos lembrar de perdoar sempre as pessoas que pecaram contra nós. Do contrário, se não perdoamos os outros, como podemos esperar que Deus nos perdoe?

Voltando a falar da Igreja, perguntar a uma pessoa "De qual Igreja você é?" seria o mesmo que perguntar "De qual planeta Terra você é?". Só existe uma "Igreja", porque Igreja é a família de Deus.

Cada prédio ou cada nome que vemos nas igrejas quando andamos pela rua é o lugar de reunião de um pequeno grupo local de filhos de Deus. Mas, na verdade, todas essas comunidades menores se agregam espiritualmente naquela que é "A Igreja". Por ela podemos atravessar até o próprio tempo e dizer que somos irmãos do apóstolo Paulo de Tarso, irmãos de Abraão, filhos de Adão e Eva, filhos de Noé, irmãos de Rute, a moabita, irmãos de uma criança que está orando neste momento lá do outro lado do mundo e irmãos de todos os cristãos que já existiram e que virão a existir. Fazemos parte de um mesmo Corpo e um mesmo Espírito, a Igreja, a Família de Deus.

Isso é Igreja com "I" maiúsculo. Mas se alguém quiser usar a palavra "igreja" (com "i" minúsculo) para se referir a uma comunidade, está certo: então somos sim uma comunidade local de discípulos de Cristo e de pessoas que querem conhecê-Lo. Nesse sentido, sim, somos uma igreja.

Mas cada igreja, cada comunidade local, tem seu jeito de fazer as coisas, tem seu jeito de as pessoas se reunirem. Por exemplo, existem igrejas em que as pessoas rezam em chinês; existem igrejas em que as pessoas oram de pé, existem igrejas em que as mulheres se cobrem com véu... Mas em todas as igrejas podemos encontrar filhos de Deus. Não são os detalhes, como idioma ou o fato de rezar com olhos abertos ou fechados que nos fazem mais ou menos filhos de Deus. O que os profetas e Jesus nos ensinaram é que importa o que está por dentro de nós.

Então qual é o "jeito" da nossa igreja? Bom, aqui vão alguns detalhes dessa nossa comunidade:

Nossa missão é conhecer e servir a Deus e servir ao próximo. A Bíblia usa a palavra "diácono" para se referir às pessoas que servem às outras. Essa é a nossa intenção: servir.

Não nos preocupamos em ter um templo ou mesmo uma hierarquia, com clero, padres, pastores, presbíteros e outros. Respeitamos as igrejas que têm isso, mas esses detalhes não são uma preocupação da nossa comunidade.

Qualquer pessoa movida de reta intenção e consciência pode achegar-se à nossa comunidade e qualquer pessoa pode ser servida pela nossa comunidade, dentro de nossas possibilidades. Só pedimos que não desrespeitem a fé e o culto cristãos e nem desrespeitem às outras pessoas.

Não temos a preocupação de registrar os membros da comunidade e entendemos que os servos, ou "diáconos", que são as pessoas mais engajadas em fazer a comunidade funcionar e em servir, são os membros que precisam tomar algumas decisões, quando essas forem necessárias, para ajudar a comunidade. Essas decisões devem, a princípio, ser tomadas considerando as necessidades de todo mundo, a justiça divina, as instruções da Bíblia, devem ser tomadas somente depois de orarmos pedindo a orientação de Deus e devem ser tomadas de preferência por unanimidade entre os servos.

Aceitamos a importância de estudar as Escrituras Sagradas, a Bíblia, e acreditamos no sacerdócio comum de todos os crentes. Assim, todos os cristãos são chamados ao sacerdócio e podem licitamente pregar, abençoar, orar, oferecer a Ceia, ministrar o Batismo, ministrar e testemunhar o Matrimônio, aconselhar e fazer tudo o mais que for lícito, justo e bom aos olhos de Deus. O crente em comunhão com o Espírito Santo é sacerdote pleno, independentemente de ter recebido imposição de mãos humanas ou ordenação cerimonial. Não cremos que o Espírito Santo seja derramado sobre os fiéis de maneira humanamente limitada.

Entendemos que Deus é a única autoridade verdadeira em todo o Universo. Ele é o pleno merecedor de nosso amor e o único digno de adoração. Nosso compromisso é deixar de fazer a nossa vontade. Pedimos que Deus nos faça andar no caminho que Ele escolheu para nós e que não façamos a nossa vontade, mas a dEle.

Do nosso ponto de vista, a Reforma Protestante foi um acontecimento histórico de grande importância e que trouxe bons conselhos, como o interesse pela tradução e estudo da Bíblia.

Por isso, não temos intenção de fazer uma declaração detalhada de fé, dizendo aquilo em que as pessoas precisam acreditar para fazerem parte da nossa igreja.

Em vez disso, somente dizemos que acreditamos no Deus único e verdadeiro, Criador dos Céus e da Terra, que por Si mesmo proveu a salvação da humanidade na figura de Seu filho Jesus Cristo e que revela a Sua palavra por meio dos profetas, que registraram a Palavra de Deus na Bíblia.

Os demais detalhes são considerados pontos a serem debatidos e estudados com base na Bíblia e devem ser defendidos com argumentos. Não é nossa intenção tolher esses estudos definindo, previamente, um corpo doutrinário ao qual todos aderem automaticamente quando de suas membresias, mesmo porque nos parece que isso representaria ir na contramão de algumas das conquistas mais notáveis da Reforma.
Por fim, a nossa igreja é um grupo de cristãos em comunhão com a Igreja inteira. E pode ser formada por grupos locais ou comunidades menores.

Seja bem-vindo e permita-nos lavar os seus pés.

        A Paz do Senhor esteja conosco!

                                                         Os irmãos servos

Nenhum comentário:

Postar um comentário